Camboja – Tudo que você precisa saber antes de viajar

Templos milenares, ruínas que desenham o passado, praias paradisíacas e um povo simples e, apesar da história triste, sorridente. Assim é o Camboja, um país que ganhou um espaço muito especial no meu coração.

O Camboja foi o segundo país que eu visitei no Sudeste Asiático, depois de passar dias incríveis na Tailândia. Assim como para a maioria dos viajantes, o que me levou até o Camboja foi o Angkor Watum dos lugares mais espetaculares que já visitei.

Angkor Wat, Camboja

Nos próximos posts vou relatar como foi minha viagem pelo Camboja e tudo que eu fiz por lá – desde as visitas aos templos mais incríveis até minha aventura para chegar em uma ilha paradisíaca do país.

Mas agora, nesse primeiro post, eu quero reunir as informações básicas para você que está planejando uma viagem para o Camboja e está um pouco perdido. Então bora lá!

Como chegar no Camboja?

Bom, não existem vôos diretos para o Camboja saindo do Brasil. Mas isso não é problema, já que certamente a Tailândia faz parte do seu roteiro e quase todos os vôos tem uma ligação com Bangkok.

O país possui dois aeroportos principais: um em Phnom Penh, a capital do Camboja, e outro em Siem Reap, a cidade mais visitada e onde fica o Angkor Wat.

Angkor Wat, Camboja
Angkor Wat, Camboja

Também existe a possibilidade de entrar no Camboja por via terrestre, mas aí, como diria minha avó, “o buraco é mais embaixo”.

Você não precisa pesquisar muito para encontrar informações sobre extorsão e golpes nas fronteiras – tenho amigos que fizeram a viagem por terra e passaram por alguns apuros e se arrependeram da opção.

Além dessa situação chata que pode rolar nas fronteiras, a viagem aérea tem ainda mais vantagens:

1. Você vai ganhar tempo!

Um vôo saindo de Bangkok para Phnom Penh ou Siem Reap dura cerca de 1 hora, já um busão leva mais de 6 horas!

2. É barato viajar de avião!

Existem muitas companhias low cost no Sudeste Asiático e volta e meia aparecem promoções inacreditáveis, do tipo: passagens de Bangkok para Siem Reap por 27 dólares… e isso que estamos falando de um vôo internacional!!!

Mas mesmo sem promoções as passagens são baratas – pelo menos comparadas aos padrões brasileiros. Pesquisando agora no site da AirAsia eu encontrei várias passagens na faixa de 165 reais.

 Veja aqui mais informações sobre como viajar pelo Sudeste Asiático.

3. Facilidade para o visto!

Já antecipando um pouco o próximo tópico desse post, sim, você precisa de um visto para entrar no Camboja e nos aeroportos você consegue ele com muita facilidade.

A grande parte dos relatos de extorsão e perrengues nas fronteiras do Camboja tem relação com visto.

Enfim, minha sugestão é que você faça essa viagem de avião mesmo. Agora vamos falar do visto!

Como tirar o visto do Camboja?

Como eu comentei, sim, é necessário tirar o visto para entrar no Camboja. Mas a boa notícia é que o processo é extremamente fácil – pra quem chega nos aeroportos

Tanto no aeroporto de Phnom Penh quanto de Siem Reap você consegue tirar o seu visto.  O que você precisa para isso é:

Seu passaporte válido por pelo menos 6 meses.
Certificado Internacional de Vacina (febre amarela)
Uma foto 3×4.
Um formulário preenchido lá mesmo no aeroporto.
U$ 30,00 para pagar a taxa.

Apenas isso, mais nada! Em menos de meia hora você já tem o seu visto lindo colado no seu passaporte.

Visto do Camboja

Detalhe: eu acabei despachando a minha foto 3×4 na mochila grande, ou seja: cheguei sem a foto para fazer o visto! Fiquei apreensivo e até bateu aquele medo de dar uma zica, mas no fim só tive que pagar uma taxa a mais (cerca de 1 dólar) e tudo resolvido.

Qual moeda levar para o Camboja?

A moeda do Camboja se chama Riel Cambojano, mas você não precisará trocar seu dinheiro por ela. No Camboja eles aceitam dólares em todos lugares que você for. Na conversão, 1 dólar equivale a 4.000 riels mais ou menos.

Dinheiro do Camboja, Riel
Dinheiro do Camboja, Riel | Foto: Shutterstock

Mas não ache que você vai voltar de lá sem alguma moeda deles, eles utilizam muito os riels para te dar troco, principalmente dos valores menores – isso me deixava um pouco confuso e eu nunca conseguia conferir se o troco estava certo.

Se você precisar sacar dinheiro, não é difícil encontrar caixas eletrônicos nas cidades maiores – principalmente perto dos mercados e feitas. Normalmente o saque é feito direto em dólar, o que ajuda bastante!

Qual a melhor época de viajar para o Camboja?

Assim como nos outros países do Sudeste Asiático, o Camboja também passa pelo efeito das monções que é o período de chuvas, de maio até outubro.

Apesar dos efeitos das monções não serem tão intensos no Camboja, se você preferir evitar, a melhor época para ir é de novembro a fevereiro – o período mais seco e não tão quente.

De março a maio é o período mais quente do ano, então tem que ir preparado.

Eu viajei pro Camboja em abril e peguei dias bem quentes, com poucas chuvinhas no final do dia.

Veja aqui um post completo sobre as monções no Sudeste Asiático.

Koh Rong, Ilha no Camboja
Koh Rong, a ilha que visitei no Camboja

Qual idioma se fala no Camboja?

A língua oficial do Camboja é o Khmer, que lembra um pouco o tailandês. De qualquer forma tanto uma quanto a outra são praticamente incompreensíveis para nós. Felizmente boa parte das pessoas por lá fala inglês – e saber apenas o básico já é o suficiente.

Sempre recebo perguntas sobre viajar com inglês básico e sim, é tranquilo! Não adianta você chegar super fluente por lá e começar a falar rápido e bla bla bla… eles não vão te entender! O esquema é falar devagar e repetir, se precisar.

Alguns cambojanos também falam um pouco de francês, então pode ser uma segunda opção pra você

Seguro Saúde no Camboja e Sudeste Asiático

O Seguro Saúde no Camboja, ou seguro viagem, não é obrigatório – assim como no restante do Sudeste Asiático. Mesmo assim eu destaco que é super importante, principalmente para um país tão afastado e diferente do nosso.

Sair do Brasil sem um seguro pode te fazer passar por muitos perrengues e a conta no final pode sair muito mais pesada.

Não é nada difícil você comer alguma coisa que não te faça bem ou ter algum imprevisto pior – nunca esperamos que aconteça né, mas é melhor previnir!

 Veja aqui um post sobre Seguro Viagem e como contratar o seu com 15% de desconto.

É seguro viajar sozinho no Camboja?

A segurança é sempre um tema bem comentado aqui no blog, principalmente quando falamos em viajar sozinhos. Eu posso dizer que me senti seguro no Camboja e tenho amigos e amigas que já fizeram o mesmo – tirando a parte chata da fronteira terrestre do Comboja.

Viajar sozinho no Camboja

Em alguns lugares, como Sihanoukville ou no centro de Phnom Penh, o visual das cidades nos deixa um pouco impactados e até apreensivos – mas depois vemos que é uma outra realidade e não podemos nunca julgar pela aparência.

De qualquer forma, cuidados básicos não podem ser deixados de lado – principalmente em lugares muito movimentados. Sempre deixar seu dinheiro em um lugar seguro, não dar bobeira com mochila ou bolsa aberta… enfim, coisas que normalmente estamos acostumados a fazer aqui no Brasil.

Golpes no Camboja

Bom, como já comentei ao longo desse post, a parte mais pesada em relação a golpes é para quem decide fazer a entrada no país por terra – mas também temos outras situações que temos que ficar espertos.

Não digo que golpe seria a palavra certa, mas em todo lugar do mundo tem os “espertinhos”Quando você chegar no país, por exemplo, e pegar um tuk tuk, o motorista vai te tentar vender os serviços dele como guia. Não que seja errado, mas ele vai tentar de tudo para mostrar que tem os melhores serviços e, caso você já tenha contratado outro, o seu não seria tão bom.

Alguns deles também tem parcerias com alguns lugares ou hotéis e vão tentar fazer você desistir do seu para ir para o outro. Tente apenas não dar trela. Mesmo que você não tenha um guia ainda, deixe para resolver isso quando já estiver no seu hotel.

 

Lembre também de sempre combinar o valor antes de pegar um tuk tuk. No Camboja um cara tentou me cobrar 30 dólares por um corrida que não daria 5 minutos.

Enfim, tem que ser esperto nesses casos!

Internet no Camboja

Eu só utilizei a internet disponível no hostel que eu fiquei. A maioria dos hotéis e hostels disponibiliza internet. Acredito que mais do que isso não seja necessário.

Hospedagem no Camboja

As cidades maiores, como a capital Phnom Penh ou mais visita, Siem Reap, dispõe de opções para todos os tipos de viajantes – de hostels simples até hotéis luxuosos.

Hospedagem no Camboja

Nessas cidades maiores eu recomendo que você faça a sua reserva com antecedência, principalmente na alta temporada. É muito fácil os lugares mais legais lotarem e eu pude ver isso em abril – que nem era a época mais movimentada do ano.

Eu sugiro que você reserve todos os seus hotéis através do Booking, um dos sistemas de reservas mais confiáveis do mundo. Fazendo todas as suas reservas pelo mesmo sistema você deixa tudo mais organizado e evita problemas durante a viagem.

 Veja aqui opções de hotéis em Siem Reap.

 Veja aqui opções de hotéis em Phnom Penh 

Lembrando que o blog é parceiro do Booking, então cada reserva que você fizer utilizando os links do blog, você estará contribuindo para manter o blog ativo e não vai gastar nada a mais com isso.

Um teaser da minha viagem pelo Camboja

Quer ter um gostinho de como foi minha viagem pelo Camboja? Então dá uma olhada no teaser que eu publiquei no Canal do Viajante, no YouTube aproveita e se inscreve para receber os próximos vídeos em primeira mão

É isso aí, espero que essas informações iniciais ajudem no seu planejamento de viagem pra o Camboja. Ainda tenho muita coisa pra contar, então fique ligado aqui no blog! E se você tiver dicas para compartilhar ou quiser tirar alguma dúvida, fique a vontade para deixar um comentário por aqui. Valeuuuuu, beijo e abraço… fuuui!!

mondial-pos-2016

Meu Primeiro Mochilão

About The Author

Robson Franzói é um curitibano de 27 anos, formado em design e obcecado por descobrir coisas novas. Em 2012 decidiu correr atrás dos seus sonhos e no seu primeiro mochilão descobriu sua grande paixão: viajar! Amante também da fotografia, o garoto criou esse blog para compartilhar suas histórias, aventuras e clicks pelo mundo. Suas fotos já estão ficando conhecidas, aproveite e acompanhe o Instragram @blogumviajante

Related posts

19 Comments

  1. Fernanda Droescher

    Eu me hospedei no Diamond D’Angkor boutique e, olha….só elogios! Fomos em maio (calor do capiroto) e a piscina refrescante do hotel depois de caminhar muito sob o sol quente era fantástico! Sem falar na equipe do hotel, que não poderia ser melhor! Um dos funcionários do hotel foi nos buscar no aeroporto (segurando plaquinha com nossos nomes e flores para nos receber, muito fofo) e enquanto ficamos hospedados lá eles nos deixaram com um aparelho celular para caso precisássemos falar com eles. Eles também nos ajudaram a contratar um motorista de tuk tuk para nos levar ao complexo. A gente só falava na recepção o horário que íamos precisar e na hora marcada o motorista estava lá no hotel (inclusive de madrugada, quando fomos ver o nascer do sol em Angkor Wat). E pra fechar com chave de ouro, no dia que fomos embora era meu aniversário e, sem que ninguém pedisse nada, durante o café da manhã os funcionários da cozinha chegaram com um bolo (com meu nome e tudo) e cantando parabéns pra mim (em inglês, não khmer hahaha)! Achei muuuito carinhoso da parte deles! Recomendo muito! Ah, e eu não sou rica não, tá?! Mas o Camboja te permite essas maravilhas…se não me engano, a diária ficou em torno de 170 reais por pessoa.

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Fer!!!! Muuuuito obrigado por compartilhar sua experiência aqui com outros viajantes. Fico tão feliz, você não tem ideia. Vou aproveitar sua dica no post de onde ficar no Camboja. Muito obrigado, de verdade!!

      Reply
  2. felipe

    Fala Robson, beleza ?

    Essa parte do visto para o Camboja me ajudou muito nas duvidas. Mas queria ver se podia me adiantar uma informação. Sabe como funciona o visto para o Vietnam ? Vi sobre fazer por aqui http://www.vietnamvisapro.net/. Porque tem um esquema de carta-convite, me deixou um pouco confuso.

    Reply
    1. Robson Franzói

      Grande Felipe, tudo certo e por ai? Desculpa a demora para te responder, estava de férias no final de ano… dando uma descansada..

      Então, tem esse esquema de carta sim… mas eu fui pra lá para fazer aquele cruzeiro em Halong Bai e aí a própria empresa que eu contratei o passeio me mandou essa carta. Eu então apresentei no aeroporto quando cheguei lá e o visto saiu na hora. Assim que eu terminar os posts do Camboja já vou falar com mais detalhes sobre o Vietnam

      Se tiver qualquer outra dúvida me dá um grito aqui

      Reply
      1. Marcelo

        Oi, Robson. Tudo bem? Os seus posts são os melhores ever! Obrigado por compartilhar tanta informação boa e de qualidade.
        Aproveitando o gancho sobre o Vietnã, enquanto não saem os posts de lá, vc se importaria em adiantar quanto tempo vc ficou por lá, como foi seu cruzeiro e Halong Bay e por qual empresa vc contratou o cruzeiro? Ando lendo opiniões muito diversas sobre esses cruzeiros (a maioria negativas) e tô tendo problemas pra formar a minha opinião. Hahaha
        Pode ter certeza que a sua opinião contará muito na minha programação.
        Grande abraço!

        Reply
        1. Robson Franzói

          Grande Marcelo, tudo bom e você? Poww, muito obrigado pelo comentário!!! Feliz pra caramba por saber que os posts estão ajudando outros viajantes!

          Então, quero ver se ainda esse mês eu faço os posts do Vietnã, espero que sim!!

          Eu fiz o cruzeiro de 3 dias / 2 noites, com a Indochina Junk. Foi uma experiência legal, apesar de ser algo romântico e eu estar sozinho. Não tinham festas ou coisas assim… mas gostei pela experiência tranquila.

          Eu Hanoi eu passei apenas uma noite, só fui para fazer o cruzeiro em Halong mesmo.

          Espero ter ajudado… Se tiver qualquer outra dúvida é só me dar um grito aqui. Grande abraço!!

          Reply
  3. Laura

    Oi Robson, ansiosa para os demais posts sobre o Camboja! É um dos destinos, além da Tailândia, da minha viagem de lua de mel em janeiro. Só para completar a informação sobre visto para o Camboja, é possível fazer o e-visa online. Custa uns $40 e em três dias você recebe a aprovação por e-mail ou pode fazer o download no próprio site. Achei bem prático e preferi já adiantar para ser mais rápido na hora da imigração. Vale para quem já quer ir com tudo pronto!

    Reply
  4. Roberto Hoffmann

    Fui de ônibus de Bangkok até fiz Siem Reap e demorou umas 12 horas. A distância não é grande, mas os trâmites na fronteira consumiram umas 3-4 horas (isso que eu tinha o e-visa). Sai às 6:00 de BKK numa van e na fronteira de ha uma troca de p/ ônibus. Fora que me cobraram uma taxa de qualquer coisa de uns US$ 5. Não chegou a rolar nenhum golpe, mas foi cansativo e perde-se um dia nesta operação. Aventura total.
    Na fronteira vão recomendar a troca de dólares por Rial Cambojano, com a lenda de que pagando em Rial os preços no Camboja seriam iguais aos para os locais (mais baratos). Preços em dólares seriam mais caros e para turistas. Na prática, nunca consegui pagar nada em Rial (você é turista), os preços eram os mesmos (quando convertidos) e só usei e recebi troco em dólares. Apenas trocos muito pequenos são em Rial.

    Reply
    1. Robson Franzói

      Grande Roberto!!! Valeu por compartilhar sua experiências por aqui… sempre bom para ajudar os outros viajantes!!! Valeuuuuuuuuu!!

      Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Amanda, tudo bom e você!?! Desculpa a demora para te responder, estava de férias no final de ano… dando uma descansada..

      É possível ir sim… eu inclusive fiz isso, mas na maioria dos vôos você vai ter escala em Bangkok…. é meio difícil fugir disso

      Se tiver qualquer dúvida é só me dar um grito aqui

      Reply
  5. Laísa

    Olá Robson,
    Descobri o seu blog e não parei de ler até terminar todos os posts sobre o sudeste asiático! =)
    Me ajudou muito a programar a viagem que farei pra lá no final deste mês.
    Resolvi comentar, pois fiquei surpresa com a agilidade em conseguir o visto para o Camboja. Um país tão simples e pequeno, mas que já me encantou!
    Como não estava tendo problemas no site, resolvi baixar o aplicativo no celular. E foi super prático! Lá mesmo você insere os dados e paga a taxa. Como fiz numa quinta-feira à noite – lá já era sexta-feira de manhã – no dia seguinte, ao acordar, já tinha recebido o meu visto online. Ainda ficou salvo no aplicativo para facilitar a entrada no país.
    Muita modernidade!
    Então fica aqui a dica para quem precisar!
    Até mais!

    Reply
    1. Robson Franzói

      Opaaaa, que show Laísa!! Muito bom, valeu por compartilhar mais essa dica!! Vou atualizar o post com essa informação.

      Valeu por ajudar outros viajantes… esse é o espírito desse blog.. todos se ajudando

      Grande abraço e uma ótima viagem pra você!! Tenho certeza que vai se apaixonar pelo Sudeste Asiático. Depois volta aqui pra me contar como foi

      Reply
  6. Heloisa

    Olá Robson, tudo bem? Nossa, estou adorando todas as suas dicas do Sudeste asiático, muito legal você compartilhar seus roteiros nos mínimos detalhes, isto me dá coragem pra planejar toda a minha viagem pra lá também!!! Pretendo ir em novembro e fazer praticamente o mesmo roteiro que vc: Tailandia, Vietnã e Camboja, terminando com as praias da Tailândia. Queria saber se vc teve algum motivo para ir primeiro ao Camboja ao invés do Vietnã, já que, pelo o que entendi, seu objetivo maior no Vietnã foi conhecer Ralong Bay, certo? Ou você visitou também o sul do Vietnã? Pergunto isso porque como você foi por ultimo para as praias da Tailândia, não seria mais rápido partir do Camboja para Krabi com escala em Bangkok? Desculpe as perguntas…rsrsrs. Não vejo a hora de ler seus posts para o Vietnã, queria muito saber o que achou de Halong Bay e se deu sorte de pegar o céu aberto por lá!? Até mais!

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Helo, tudo bom e você?? Que bom que chegou aqui e está curtindo o conteúdo!! Fico super feliz em saber que estou ajudando outros viajantes

      Então, na verdade a minha intenção foi deixar as praias da Tailândia por último… pra relaxar mesmo… descansar no final da viagem.

      E entre a sequencia de Camboja e Vietnam, não fez muita diferença pois todos os vôos faziam escala em Bangkok… eu sempre ia ter que voltar pra lá para pegar um outro vôo. Então fui definindo conforme encontrava as opções mais baratas

      Bom, se tiver qualquer outra dúvida é só me dar um grito aqui

      Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *