Trem Curitiba Morretes – Serra Verde Express

Sabe aqueles clássicos passeios que existe na sua cidade e você nunca foi? Pois é, pra mim, a viagem de trem de Curitiba até Morretes era um deles. Na verdade eu já tinha feito esse passeio quando era criança e até tinha boas recordações, mas foi preciso um grupo de blogueiros se reunir para eu embarcar nessa aventura novamente. Galera, posso dizer para vocês: é muito divertido e vale a pena.

Blogueiros do Curitiblogando - Viagem de trem - Curitiba - Morretes

A companhia de trem que faz o percurso CuritibaMorretes é a Serra Verde Express. Na verdade a viagem completa vai de Curitiba até Paranaguá, ao longo de 110 quilômetros por entre a maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil. A viagem nos coloca em contato direto com a natureza e com um acervo histórico incrível, visto que a ferrovia tem mais de 125 anos.

O trem parte da Estação Ferroviária de Curitiba, que está localizada atrás da Estação Rodoviária de Curitiba, na Av. Presidente Afonso Camargo, 330. Juntamente à Estação, encontra-se a BWT, operadora oficial da Serra Verde Express.

Estação Rodoferroviária de Curitiba - Blogueiros do Curitiblogando

Nós fizemos a viagem em um sábado, quando a previsão do tempo não era das melhores para Curitiba, e mesmo assim a estação de trem estava lotada. Vale a pena chegar bem cedo para evitar algum imprevisto e também para conseguir estacionar, já que o estacionamento não é muito grande e sempre fica cheio.

Quando chegamos ainda tivemos uma ótima surpresa: faríamos a viagem de ida na famosa Litorina, um trem que eu só conhecia de nome e nem sabia se ainda existia. Depois descobri que na verdade a Litorina é um trem separado do trem convencional e ela está disponível em duas divisões: Litorina Convencional e Litorina de Luxo. Nós viajamos na Litorina Convencional e digo que valeu a pena pela experiência de conhecer a Litorina. Nela nós temos um bom serviço de bordo, onde é servido água, refrigerante e um kit lanche. O vagão também conta com ar condicionado e janelas panorâmicas – que não são tão panorâmicas assim. O ponto que eu não gostei é que, nesse caso, as janelas não abrem e, vamos falar a verdade, que graça tem viajar de trem se não for pra colocar a cabeça pra fora da janela? [ [ [o/

Litorina - Serra Verde Express
Um Viajante na serra do mar - Litorina
Litorina - Trem - Serra do Mar

Nosso grupo também aproveitou para conhecer os dois vagões da Litorina de Luxo, que eu achei muitoooo mais legal que a convencional!! E o valor entre a Litorina Convencional e a Litorina de Luxo não é muito diferente. Então, se tiver que optar por uma delas, embarque na de Luxo!

Vagão de Luxo - Litorina - Serra Verde Express

Bom, a viagem de ida foi bem bacana. O trem foi reduzindo a velocidade e até parando em alguns pontos importantes do caminho. O trajeto passa pela Estação de Piraquara, pela Represa Caiguava e depois pelo Túnel Roça Nova, que é o mais extenso do caminho, com 457 metros de comprimento. Depois podemos ver a Represa do Rio Ipiranga, usada antigamente para a geração de energia da Usina Marumbi. O trem fez uma pausa no Santuário do Cadeado, que foi inaugurado em 5 de fevereiro de 1965, em comemoração aos 80 anos da Ferrovia Paranaguá – Curitiba.

Ponte - Serra do Mar - Paraná
Serra do Mar - Curitiba - Morretes

Passamos ainda pela Ponte São João, com seus 55 metros de altura e depois no famoso Viaduto do Carvalho, que recebeu esse nome em homenagem ao então Presidente da Província do Paraná, Carlos de Carvalho. Foi uma pena o tempo não ter ajudado muito na ida, mas esteja preparado pois dias nublados ou com muita serração são muito comuns na região.

O passeio também nos presenteia com vistas incríveis, como a Cachoeira Véu de Noiva e também a conhecida Garganta do Diabo.

Cachoeira Véu de Noiva

Depois desse longo passeio chegamos a Estação de Morretes. Da estação fomos direto ao Restaurante da Serra Verde Express, provar o tradicional prato da região: o barreado.

Pra quem não conhece, esse é o prato típico do litoral paranaense. O prato consiste em uma ou mais carnes cozidas, servidas com arroz e farinha de mandioca. A carne é cozida em uma panela de barro por cerca de vinte horas, tempo suficiente para desfiar toda a carne. Depois de cozida, as fibras da carne se soltam resultando em um caldo grosso e muito saboroso. Para manter o sabor da carne, a panela de barro é vedada com uma massa de farinha e água, formando algo como uma panela de pressão. O prato tradicional também acompanha banana.

Barreado - Pirão de Barreado - Bolinho de Siri

No restaurante, um dos garçons preparou para nós o pirão de barreado, que é uma das maneiras mais clássicas de se comer o barreado. Ele faz a mistura no seu próprio prato, com o molho de carne e a farinha, até que ela fica com uma consistência onde não desgrude do fundo. Antigamente até existia um teste onde o garçom virava o prato na cabeça do cliente, provando que o barreado estava no ponto certo… maaaaaas vaiii que né? Melhor não arriscar

Eu achei o prato uma delícia!!! Além dos acompanhamentos tradicionais, também são servidos bolinhos de siri – que estavam uma delícia #morriporeles -, camarão, peixe frito e salada.

Depois do almoço nós pegamos outro trem para voltar até Curitiba, porém fazer essa opção de voltar com o trem não te dá tempo de visitar a cidade de Morretes. O ideal é aproveitar o restante dia em Morretes e voltar de ônibus ou até passar uma noite por lá.

A volta levou cerca de três horas e meia e foi bem divertida. Voltamos no vagão executivo do trem convencional, uma opção que eu aconselho tanto para ida quanto para volta. O vagão é confortável e as janelas abrem!!! Viva!! Podemos colocar a cabeça para fora.. ou até o corpo inteiro como alguns fizeram!! (Lembrando que colocar qualquer parte do seu corpo para fora do trem é extremamente perigo e proibido, pode vir um galho e furar o seu olho ou sua cabeça pode bater na parede do túnel, então todos sentados e comportem-se!)

Atenção: ao colocar sua cabeça para fora do trem você pode estar sendo vigiado

Atenção: ao colocar sua cabeça para fora do trem você pode estar sendo vigiado.

Bom, nosso dia até Morretes foi muito divertido e é um passeio que eu aconselho tanto para quem visita Curitiba quanto para quem mora aqui. Lembre-se que é um passeio que dura um dia inteiro, então você precisa reservar um dia para isso.

Informações sobre valores e mais detalhes sobre o passeio podem ser vistos no site: www.serraverdeexpress.com.br

Já fez a viagem de trem até Morretes? Deixe um comentário e conte como foi!

curitiblogando

A viagem de trem até Morretes fez parte do projeto Curitiblogando.

Participaram da 1º edição do Curitiblogando que ocorreu entre 28 e 31 de março de 2013: Anna Martinelli e Mariana Fachin (Finestrino), Marcos Coqs e Amanda Malucelli (Viajão ), Carol Moreno (Mochilão Trips), Beta Rodrigues e Dea Sales (Férias de Mochila), Robson Franzói (Um Viajante), Natasha Schiebel e João Guilherme Brotto (Pra Ver em Londres) , Simone Jung (Flashes de Viagem), Leidinara Batista (Férias Now), Fernanda Souza (Preciso Viajar), Jr Caimi (TipTrip Viagens). Blogueiras convidadas: Erika Marques (Outros Ares) e Renata Campos (Revivendo Viagens).

A organização das atividades do primeiro encontro dos blogueiros contou com os seguintes parceiros: CCVB – Curitiba Convention Visitors Bureau, PG1 Comunicação e Assessoria, IEME Comunicação, Home City Home, Vacanze Viaggio. Também tivemos como colaboradores: Forneria Copacabana, Restaurante Madalosso, Cold Stone, Serra Verde Express, Bazar Doce e Cervejaria Devassa.

Melhor Seguro Viagem InternacionalBooking.com

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

13 Comentários

  1. Marília

    Oi Robson!
    Comecei a ler seu blog essa semana e estou adorando. Voltei de Curitiba semana passada e teria sido ótimo ter visto as dicas que vc tinha postado antes de viajar!
    Também fui a Morretes e achei a viagem incrível, a vista de alguns trechos no caminho do trem é daquelas que não dá pra descrever, só indo mesmo pra saber como é. Sobre o barreado, recomendo o restaurante Nhundiaquara: a comida é deliciosa, a vista linda e o atendimento também é muito bom!
    Um abraço e parabéns pelo blog!

    Reply
  2. andrea

    Adorei as dicas, principalmente por estar em duvida sobre fazer ou nao este passeio, e olha fiquei convencida a fazer.
    um abraço.

    Reply
  3. Thais

    Robson bom diaaa
    Para variar eu copiando todos seus passeios (Atacama já foi, agora Foz com intenção desse de trem junto, ano que vem vai ser Bolivia, mas terá Peru junto e uma retorno ao Atacama para fazer o vulcão) rsrs acho ótimo então copio mesmo…
    Vou com alguns amigos para Foz, porem moramos em Floripa e a passagem está uma loucura de tão cara. Optamos por ir até Ctba, mas nosso voo sai as 17:00 , sabe me dizer se da tempo de fazer este passeio de trem? Caso ache corrida tem alguma sugestão para nosso dia em Ctba?
    Beijinhos e obrigada

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oiii Thais!!! Hahahha.. que legal que segue as dicas do blog… muito bom saber que o blog inspira tantas pessoas…

      Entãooo… sobre o passeio de trem até Morretes: ida e volta de trem não vai dar tempo… ele chega depois das 18h em Curitiba…. Existe a opção de ir de trem e voltar de Van…. mas pense que você vai chegar em Morretes perto do Meio dia… ai vai almoçar e tem que sair de lá umas 14 no máximo, pra chegar em Curitiba antes das 16h e voar para o aeroporto… vai ficar corrido, bem apertado… maaaaaas pode até dar certo….

      Eu acho que você pode curtir o dia em Curitiba… já tem programação por aqui ou como estão os planos?

      Bjoooosss!!! Qualquer coisa dá um grito

      Reply
      1. Thais

        Sem dúvidas muitaaaaaa inspiração
        Meio corrido mesmo e se tiver transito estaremos perdidos, que pena. Sem idéias ainda para este dia então Pode nos ajudar com dicas de lugares e um restaurante para almoço?
        Mais uma vez muitooo obrigada.

        Reply
  4. Simone

    Olá!! Robson, adorei as dicas do passeio de trem Curitiba-Morretes, porém fiquei com uma dúvida: a viagem vale mais à pena no trajeto Curitiba-Morretes ou é igualmente bonita no retorno no período da tarde? Pensei em ficar hospedada em Morretes e fazer o trajeto ao contrário, saindo de Morretes às 15h e passando a noite em Curitiba. Será que a beleza é a mesma?

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Simone, tudo bom?? Então, eu já fiz tanto ida quanto volta e é bem parecido…. a beleza é a mesma sim! Pode ir tranquila…

      Reply
      1. Simone

        Obrigada! Eu estava super na dúvida…. Mas acho que o roteiro da tarde vai se encaixar melhor nos meus planos! Tenho certeza que será maravilhoso!

        Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Paloma, tudo bom? Desculpa a demora para te responder, estava de férias no final de ano… dando uma descansada..

      As janelas abrem sim!! Só da litorina que não…

      Se tiver qualquer dúvida é só me dar um grito aqui

      Reply
  5. Stephanie

    Oi Robson!!
    Estou indo para Curitiba no final de Março e já colhi algumas dicas aqui do seu blog (ótimas dicas,por sinal!).
    Fiquei muito interessada em fazer o passeio de trem até Morretes. Me tira uma dúvida? Qual a empresa de ônibus que faz o trajeto de Morretes a Curitiba?O ponto desse ônibus fica próximo à estação do trem?

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Sté, tudo bom? Que legal que está vindo para Curitiba… não deixe de visitar o Café do Viajante, que é a cafeteria que abri aqui na cidade

      Então, eu confesso que não lembro o nome da companhia… mas sei que você já pode comprar essa volta também com a Serra Verde Express… você compra ida de trem e volta de ônibus. Mais fácil… aí eles vão te indicar tudo certinho

      Bom, espero ter ajudado… Se tiver qualquer outra dúvida é só me dar um grito aqui. Grande abraço!!

      Reply
      1. Stephanie

        Obrigada pela resposta,Robson!!
        Ah!Amoo café e com certeza irei fazer uma visita ao Café do Viajante!
        Um abraço.

        Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *