Como viajar mudou minha vida

Acho importante ir além dos posts com dicas de roteiros, de hospedagens, restaurantes ou planejamento. A experiência de viajar, conhecer novas pessoas, novos lugares e novas culturas, proporciona uma bagagem de vida de valor imensurável. Essa experiência também deve ser relatada. O que para alguns pode ser apenas uma viagem de férias, pra mim é um período de renovação e descobrimento, do mundo e de mim mesmo.

O Caminho, foto que tirei em Lauterbrunnen, Suíça

Tive a oportunidade de entrar em um avião pela primeira vez com destino ao meu primeiro mochilão. Nem fazia ideia do efeito que aqueles 30 dias viajando sozinho faria na minha vida. E olha, posso dizer que tudo mudou completamente.

Viajar abriu meus olhos para um novo mundo. É como se antes dessa experiência minha visão fosse turva, e quanto mais o mundo se mostra para mim, mais limpa fica minha visão. Com isso estou descobrindo e aprendendo muitas coisas.

Um incrível momento em Füssen

Aprendi o respeito pelas pessoas… pelos mais novos, pelos mais velhos… pelos iguais e pelos diferentes. Descobri o prazer de ouvir a história de alguém, a vontade de contar o que estou vivendo e o desejo compartilhar meus sentimentos com quem nem conheço.

Aprendi que existem amigos passageiros, e que nem por isso deixam de ser amigos. São aqueles que por um acaso, ou não, do destino, cruzam nosso caminho em um hostel, uma praça ou em um bar perdido no mundo. Um amigo que divide uma bera com você em um pub, que dividi o tempo dele para comer uma pizza com você ou que simplesmente ri do seu inglês e mesmo assim se esforça pra te entender. Sim, cada um desses é um amigo que ficará registrado para sempre na memória. No fim, cada um pode até seguir um caminho diferente, mas sempre serão lembrados como amigos. Amigos de uma viagem, amigos viajantes…

Um momento... em Salzburg, Áustria

Ahh, como é bom viajar e sentir aquele friozinho na barriga. Aquele friozinho na barriga quando entramos em um trem que seguirá para uma nova cidade, quando o avião está prestes a decolar para um outro país ou quando o ônibus está prestes a seguir viagem para uma cidade que nem é tão longe assim. Aquele friozinho na barriga quando olhamos pela janela e vemos ficando para trás uma cidade, um país ou simplesmente uma versão de nós mesmos que não vai mais existir, já que estamos indo nos renovar.. nos redescobrir.

Tudo isso se desperta dentro de nós, sim, nós, que somos viajantes. Que descobrimos que o nosso lar não é só a nossa casa, mas sim o mundo.

Aproveitando o que o mundo pode oferecer... Barcelona, Espanha

Então ‘viajar’ seria a solução do homem para se entender nesse mundo? Acredito que sim. Afinal, como poderíamos nos entender se não conhecêssemos a fundo o mundo onde estamos? Hoje me peguei refletindo sobre isso e então decidi escrever esse post. Viajar mudou sim a minha vida, e penso em quanto ainda vai mudar. Tenho tanto a ver, tanto a descobrir. Estou apenas no começo de uma jornada, de uma vida será uma eterna viagem.

Garanto que isso não é algo particular meu, mas de muitos viajantes que compartilham dos mesmos sentimentos e de uma mesma paixão: viajar.

Se você ainda tem dúvidas sobre isso, não tenha medo de arriscar. Não tenha medo de sair da casca e descobrir uma outra pessoa que existe dentro de você. O mundo pode fazer por você muito mais do que você imagina

* * * *

Ajude o blog a continuar ativo! Faça sua reserva no BOOKING através dos nossos links!

O cancelamento é gratuito e você não paga nada a mais por isso.

Aproveite e veja tudo sobre Seguro Viagem neste post e pegue o código de 15% de DESCONTO!

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

15 Comentários

  1. Enéas Mesquita

    Parabéns pelo Post! Espero que no mais breve possível eu possa começar a ter experiências similares à que você compartilhou nesse blog.

    Reply
  2. Alvaro Mello

    Legal o blog – sucesso. Estou planejando de apos visitar Lisboa, ir subindo passando Coimbra, Porto, Braga e terminando em Stgo de Compostela. Voce recomendaria onibus ou trem? Sds,
    Alvaro

    Reply
    1. Robson

      Opa, valeu o elogio Alvaro… então, eu fui de Lisboa para Porto de trem…. a viagem de trem é bem confortável e rápida. super recomendo!! Acredito que se tiver trem para os outros lugares também é a melhor opção. Eu prefiro deixar o ônibus como segunda alternativa…

      Abraço!!!

      Reply
  3. maria carolina

    Ola Robson!
    Estou amando as dicas todas e vc esta me ajudando muito! Estou com uma ideia muito nova ainda na minha cabeça porem quase definida de fazer um mochilão no ano que vem!São muitos detalhes, muitas informações e antecedência me ajuda para poder planejar tudo sair certinho! Ainda nao tenho nem roteiro definido… A unica coisa que ja decidi é que eu quero essa experiencia para minha vida! Obrigada pela ajuda!

    Reply
  4. Thays Ferreira

    Poxa, estou adorando ler o seu blog!!! Muito bacana e com certeza você será um exemplo para as minhas futuras viagens, que espero fazer em breve!!!

    Reply
  5. Fernanda

    Ei, parabéns! O friozinho na barriga é a melhor parte!!! Eu sinto dois: na hora de comprar a passagem (Dá aquela sensação de “Agora é pra valer!”) e quando o avião decola! Que misto de sentimentos e expectativas incrível!!!!*-* Bjos! Muitas viagens e postagens!!!

    Reply
  6. geovana

    Amei o seu texto e compartilho da mesma opinião….nada melhor para nos conhecermos do que uma viagem!!! Amo o friozinho na barriga, os novos amigos e o descobrimento!!!

    Reply
  7. Renata

    Robson, você descreveu com perfeição os sentimentos e o aprendizado de viajar…principalmente, viajar “sozinho”. Depois de 2 mochilões (planejando já o 3o. e o 4o…rs), me emocionei com seu texto. Obrigada!

    Reply
  8. Gabriela Padoan

    Uou… a melhor descrição do que eu senti tbem…rsrs… achei fantastico como o ser humano com total diferenca pode ter o mesmo sentimento… na qual no fim temos como uma prova que somos todos iguais…
    viajar … viajar… Como não amar? Deveria ser como arte… matemática. .. física fazer parte de nosso currículo para nos tornarmos seres melhores…
    Bom! vou ler seu blog todo dia… para ter como inSpiracão … amei como escreve… e suas fotos? Não, não vou comentar: “HORROROSAS!” #irônica rsrs… PARABÉNS

    Reply
  9. André Brito

    Ei Robson, me identifiquei muito com você! Suas ideias, sua maneira de enxergar o mundo e como a viagem muda a vida da gente! Leio seu blog como se fosse eu mesmo! hahahaha… Muito bom! Concordo absolutamente com você. Fiz minha primeira viagem internacional em 2009 para Buenos Aires e eu mal imaginava como aquilo iria mudar minha vida. Hoje só consigo pensar na imensa lista que tenho de lugares para conhecer. Não consigo parar, se tornou um vicio, um vicio que espero nunca terminar, porque não tem nada melhor do que desbravar esse mundão, afinal, como diz o poeta, o mundo é como um livro e quem não viaja não sai da primeira página! Um abraço!

    Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *