Museu do 11 de Setembro em Nova York: vale a pena incluir no roteiro?

O lugar que nos faz reviver um dos episódios mais tristes da história recente, o 9/11 Memorial Museum – Museu do 11 de Setembro – em Nova York, nos toca de uma forma intensa e emocionante. Certamente um lugar que vai te deixar sem palavras e com o coração apertado, especialmente se você, assim como eu, acompanhou a tragédia em tempo real.

O Museu do 11 de Setembro, localizado exatamente onde se erguiam as Torres Gêmeas do World Trade Center, é, sem dúvida, um dos lugares mais impactantes e tristes que você pode visitar em Nova York.

Museu do 11 de Setembro em Nova York

Antes mesmo de entrar, já imaginava que a visita nesse museu seria diferente de qualquer outro que eu tivesse visitado. Ainda assim, adianto que o impacto que senti lá foi muito mais forte do que eu poderia esperar. Nunca vi, de verdade, um lugar que deixasse todos os visitantes com o mesmo semblante de angústia, tristeza e perplexidade.

É claro que existem lugares ao redor do mundo que nos chocam com momentos muito tristes e cruéis da história da humanidade. No caso do Museu do 11 de Setembro, pelo menos para mim, o impacto é diferente por eu ter acompanhado, mesmo que pela televisão, tudo o que aconteceu na manhã daquela terça-feira, 11 de setembro de 2001.

Mesmo que passados mais de 17 anos dos ataques, é impossível não se lembrar exatamente como foi a manhã daquele dia: eu, com treze anos, lembro que cheguei do colégio e assisti tudo pela TV… sem entender que aquele dia mudaria o rumo da história.

E o Museu, com o propósito de nos fazer reviver cada instante, não só do dia dos ataques em si, mas também do período que antecedeu aos atentados e de tudo que veio no decorrer dessa data, nos impacta ao abrir essa ferida de uma forma tão singular.

Como é a visita ao Museu do 11 de Setembro em Nova York

A visita ao Museu do 11 de Setembro nos leva por salões, galerias e espaços onde podemos ver de perto objetos, fotografias, vídeos e também estruturas reais que faziam parte das Torres Gêmeas do World Trade Center.

Museu do 11 de Setembro em Nova York

Ao total são mais de 10 mil artefatos em exposição, além das milhares de fotos, vídeos e gravações de áudio que nos fazem reviver a história de uma forma muito presente. Se você aceitar uma boa dica, sugiro que reserve um tempo no seu roteiro para fazer essa visita da forma mais completa possível: eu fiquei em torno de 4 horas dentro do museu.

Hoje existe um aplicativo que você pode baixar no celular e usar como seu áudio-guiaele é gratuito e tem a narração em português. A versão de áudio original, em inglês, tem a narração do ator Robert De Niro.

Baixe aqui o aplicativo do museu para iOS Baixe aqui o aplicativo do museu para Android

Essa visita guiada pelo aplicativo vai fazer, sem sombra de dúvidas, toda a diferença. As narrações vão te guiar pelas galerias, revelar segredos e também dados históricos sobre tudo o que você vai encontrar ao longo dos espaços do museu.

Um pouco do que você vai ver no Museu do 11 de Setembro

Apesar do enfoque central ser, obviamente, os atentados do 11 de setembro, nessa visita nós somos convidados a conhecer uma parte da história da construção das Torres Gêmeas e da arquitetura absurda que envolveu essa construção.

Já no início da visita você poderá ver a chamada “Parede Diafragma”, que nos impacta por seu tamanho e força. Considerada uma maravilha da engenharia, essa gigantesca parede foi construída para conter as águas do rio Hudson.

Parede Diafragma - Museu do 11 de Setembro em Nova York

Só para você ter uma ideia, se essa parede tivesse se rompido com os ataques, é possível que túneis do metrô de Nova York e áreas da parte baixa de Manhattan fossem alagados completamente… causando assim uma tragédia ainda maior.

Logo na sequência encontramos uma parte das escadas originais de uma das torres – escadas essas que foram o ponto de fuga de centenas de pessoas que conseguiram escapar dos ataques. Chamada de ‘Escada dos sobreviventes‘, ela foi o primeiro ponto em que parei e senti que a visita seria realmente intensa.

Escada dos Sobreviventes - Museu do 11 de Setembro em Nova York

A visita então nos guia até o ‘Hall da Memória’, um grande espaço onde podemos ver uma instalação azul com a seguinte citação:

Museu do 11 de Setembro em Nova York
“No day shall erase you from the memory of time”.

As palavras são do poeta romano Virgílio e resumem o contexto principal do museu. Cada uma das letras foi forjada com o ferro resgatado das ruínas do WTC. Segundo o Tom Joyce, o ferreiro que fez o trabalho, o ferro passa por um processo de transformação ao ser tocado pelo fogo, e é isso que podemos ver na citação do poeta:

“Nenhum dia deve apagar você da memória do tempo”.

Já a instalação em azul, criada pelo artista Spencer Finch, tem um significado sutil e reflexivo: Tentando Recordar a Cor do Céu Naquela Manhã de Setembro.

Museu do 11 de Setembro em Nova York
Tentando Recordar a Cor do Céu Naquela Manhã de Setembro.

Desse ponto para frente, a visita percorre algumas galerias, cada uma delas com um enfoque distinto. Uma delas, que não deve ser fotografada, se chama ‘Em Memória‘, onde você vai ver uma homenagem às quase 3.000 pessoas vítimas decorrentes dos atentados.

Em Memória - Museu do 11 de Setembro em Nova York

Nesse espaço existem, além das fotos na parede, telas interativas onde você pode procurar por nomes específicos. Ao encontrar alguém, é possível conhecer um pouco da história da pessoa por meio de fotos e textos. Ali você também pode enviar o nome dessa pessoa para a sala de projeção e, na sequência, ver ela narrada e projetada nas paredes.

Em Memória - Museu do 11 de Setembro em Nova York

A visita segue por espaços onde você vai visualizar algumas homenagens feitas após os ataques, incluindo uma porta de um posto dos bombeiros que foi pintada em homenagem à 8 bombeiros daquele batalhão que morreram durante a queda das torres – todos os detalhes dessas homenagens são detalhados no áudio guia.

Não tenho como não comentar também sobre alguns itens em exposição que são chocantes, especialmente por seu tamanho e destruiçãoque, mais uma vez, nos impacta pela proximidade que chegamos ao dia dos atentados.

Museu do 11 de Setembro em Nova York
Antena que ficava no alto da torre norte do WTC

Dentre esses itens você vai observar colunas reais que compunham a estrutura das torres, carros de bombeiros parcialmente destruídos e muitas vigas de aço que foram retorcidas como papel. É possível ver de perto também, uma parte da antena que ficava sobre uma das torres, completamente destruída.

Carro dos bombeiros destruído - Museu do 11 de Setembro
Carro dos bombeiros destruído com a queda das torres…
Motor de um elevador do WTC - Museu do 11 de setembro
Motor de um elevador do WTC…
Carro dos bombeiros destruído - Museu do 11 de Setembro
Carro dos bombeiros destruído…

Ver isso tão de perto nos deixa com um nó na garganta. São relíquias da tragédia que nos tiram as palavras e deixam um silêncio dolorido.

O que você não pode deixar de ver no museu

Apesar de já ter percorrido pontos importantes do museu, existe uma exposição que você não deve deixar de lado: a exposição histórica. Intitulada “Documentação da História” no áudio guia, essa exposição recebe o nome: September 11, 2001.

Esse espaço vai levar você em uma viagem no tempo e mostrar, detalhadamente, tudo que ocorreu no dia 11 de Setembro de 2001minuto a minuto. Você vai acompanhar, como em uma linha do tempo, desde o instante em que os terroristas entraram nos aviões até a queda das torres.

Museu do 11 de Setembro em Nova York

A visita nessa exposição não pode ser filmada e nem fotografada. Lá dentro existem muitos objetos recuperados da tragédia – desde itens pessoais, até simbólicos… como um bicicletário cheio de bicicletas que nunca voltariam para seus donos. 

Muitas fotos desse post foram cedidas gentilmente pelo setor de imprensa do museu, permitindo assim que eu compartilhasse com mais detalhes como foi a minha experiência. Lembre-se de respeitar o museu e só fotografar nas áreas permitidas. 

Museu do 11 de Setembro em Nova York
Bicicletário que ficava no WTC…

Nesse espaço você vai ver de perto parte dos aviões, destroços das torres, roupas de bombeiros, de crianças e de pessoas que tiveram suas vidas interrompidas naquela data. Pode ver também vídeos com vários ângulos da tragédia, incluindo as imagens de programas americanos que estavam ao vivo e comentavam sobre o primeiro avião – sem nem imaginar que se tratava de um ataque.

Museu do 11 de Setembro em Nova York

É importante ressaltar que essa exposição é recomendada para maiores de onze anos, pois o conteúdo em algumas áreas pode ser perturbador.

Aqui, mais do que em qualquer outra parte do museu, recomendo que você faça a visita com o áudio guia detalhado – no próprio aplicativo, você terá que sair da versão guiada normal, voltar ao menu principal e acessar a seção intitulada “Documentação da História”.

Além da narração que você terá no aplicativo, a exposição é repleta de vídeos e áudios que ajudam a reconstituir os acontecimentos. O áudio guia sempre vai indicando para onde ir e dando tempo para você absorver o lugar.

Museu do 11 de Setembro em Nova York
Vitrine conservada exatamente como ficou após a queda das torres…

Particularmente, um dos pontos que mais me impressionou, foi uma sala escura onde você acompanha os detalhes do voo que caiu na Pensilvânia. Esse voo foi o que os passageiros reagiram contra os terroristas e que, por conta disso, não conseguiu cumprir o planejado.

Nessa sala você irá ouvir os áudios originais que alguns passageiros conseguiram enviar para os familiares durante o voo, quando já sabiam que as coisas não estavam indo bem. É de dar um nó na garganta e até faltar ar…

Museu do 11 de Setembro em Nova York: vale a pena?

Eu não vou dizer que é uma visita fácil. Percorrer as instalações desse museu é chocante e provoca um impacto difícil de explicar. De qualquer forma, recomendo essa visita, sim. E recomendo muito!

O Museu do 11 de Setembro nos mostra muito mais do que a reconstituição dos ataques, mas também em como o terrorismo impactou a vida de pessoas não só em Nova York e nos Estados Unidos, mas em todo o mundo.

Museu do 11 de Setembro em Nova York

Ali podemos entender e conhecer muitos pontos da história, de antes e do que veio depois dos ataques. A história não só das vítimas, mas também dos que sobreviveram e fizeram a diferença posteriormente.

No final da visita, você vai, provavelmente, fazer como eu e muitos outros… sentar diante da chamada “Última Coluna” e ficar em silêncio por um tempo. Essa coluna se tornou um símbolo da determinação e dedicação de todos que ajudaram nos dias que seguiram o 11 de setembro.

Última Coluna - Museu do 11 de Setembro em Nova York

Pode ter certeza, você sairá do museu e estará diante do Memorial do 11 de Setembro, que provavelmente já deve ter visitado, e vai olhar para ele com outros olhos…

Dicas para sua visita ao Museu do 11 de Setembro

– Separe entre 3 e 4 horas para realizar uma visita realmente completa no museu;
– Baixe o aplicativo no celular e faça a visita com o áudio guia;
– Especialmente nesse museu, só fotografe nas áreas permitidas;
– Evite carregar muito peso, já que a visita guiada é longa.

Para entrar no museu você vai passar por um raio-x similar ao dos aeroportos, por isso esteja preparado para abrir a mochila, tirar cinto ou mesmo ser revistado.

Horários e valores do museu

Horário do Museu do 11 de Setembro

O Museu abre todos os dias da semana.
De domingo a quinta-feira, das 9h às 20h – sendo permitida a entrada somente até às 18h.
Sextas e sábados das 9h às 21h, com entrada somente até às 19h*.

*O museu pode ter horários diferenciados em datas comemorativas e feriados.

Valor do ingresso do Museu do 11 de Setembro

Adultos: $26 dólares
Crianças de 7 a 12 anos: $15 dólares
Adolescentes de 13 a 17 anos: $20 dólares
Adultos acima de 65 anos: $20 dólares
Estudantes: $20 dólares


Museu do 11 de Setembro em Nova York: vale a pena incluir no roteiro?


Comprar ingresso para o museu

Caso você não tenha um passe de atrações, sugiro que você compre os ingressos antecipados para evitar as filas da bilheteriaelas podem ser bem longas e você vai perder um bom tempo com isso.

Eu recomendo comprar seu ingresso no site da GetYourGuide, que é super seguro e oferece várias atrações em Nova York e outras cidades ao redor do mundo.

COMPRE AQUI SEU INGRESSO ANTECIPADO E EVITE FILAS


Visite o Museu com passes de atrações

NewYork City Pass

O viajante conta com várias opções de passes para explorar a cidade de Nova York e economizar nos ingressos. Dentre os passes que já testei na cidade, o New York CityPass foi o que ofereceu a melhor vantagem para o Museu do 11 de Setembro.

Compre o CityPass e pague em dólares
Compre o CityPass e pague em reais

Com esse passe, você tem acesso por uma fila direta, sem ter que passar pela bilheteria. É o passe com a melhor opção para quem quer economizar tempo – usei e recomendo.


New York Sightseeing Pass

Outra opção de passe que gostei muito e também recomendo em Nova York é o Sightseeing Pass. Ele oferece duas modalidades de uso para o viajante, podendo assim ser melhor adaptado com o seu roteiro.

A principal vantagem do Sightseeing Pass é que ele é o único passe que você pode incluir a visita no One World Observatoryo que faz uma boa diferença. Para o Museu do 11 de Setembro você não terá um acesso direto, então tem que apresentar o passe na bilheteria e depois entrar no museu – mesmo assim, pensando no valor, é o que tem mais vantagem.

Compre o SighSeeing Pass e pague em dólares
Compre o SighSeeing Pass e pague em Reais
Compre o SighSeeing Pass FLEX e pague em Reais

Recomendo muito escolher um dos passes, pois faz uma boa diferença no valor final das atrações – com o dólar nas alturas, economizar com isso é uma ótima opção.

Entrada gratuita no Museu do 11 de Setembro

O viajante tem uma boa alternativa para economizar no Museu do 11 de Setembro, já que ele oferece entrada gratuita todas as terças-feiras das 17h às 19h. Para aproveitar essa facilidade, é necessário reservar sua entrada no site: www.911memorial.org/freetuesdays

Só reforço que, nessa opção você teria menos tempo do que eu recomendo para aproveitar o museu da melhor maneira – sem falar que ele fica com um movimento bem maior. Mas fica à sua escolha.

Como chegar ao Museu do 11 de Setembro

O Museu do 11 de Setembro está localizado em Lower Manhattan, bem ao lado da nova estação Oculus e também do Memorial do 11 de Setembro.

Nessa região você conta com várias estações de metrô e linhas que podem te atender:

• Linhas A, C, J, Z, 2, 3, 4 ou 5 na estação Fulton Street
• Linhas 2 ou 3 até na estação Park Place
• Linha E e 1 na estação World Trade Center
• Linha R na estação Rector Street e também Cortlandt Street

Para facilitar, veja no mapa abaixo a localização exata do Museu do 11 de Setembro e também de cada uma dessas estações do metrô:

Dúvidas, dicas ou sugestões?

Espero que esse post ajude e esclareça suas principais dúvidas sobre o Museu do 11 de Setembro em Nova York. Se tiver alguma sugestão ou comentário, fique à vontade para deixar sua mensagem nos comentários. See you!!

Roteiro de 7 dias completos em Nova YorkReserve seu hotel em Nova York

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *