fbpx

Perrengue… Aquele do primeiro dia

Quem não gosta de dar risada com a desgraça alheia??? Acho que é natural do ser humano querer saber em detalhes sobre a vida dos outros, se fulano traiu a namorada, bateu o carro ou então qual foram os problemas que aconteceram na esperada viagem de férias. Não sou diferente, por isso aceitei o convite do Robson, ainda mais por estar fazendo um trabalho tão bom aqui no blog.

Perrengue... aquele do primeiro dia

O primeiro dia do resto de uma volta ao mundo

Impossível acreditar que poderia vivenciar algo de ruim logo nas primeiras horas de minha volta ao mundo, um momento que planejei tanto para acontecer. Meu primeiro destino foi a cidade de San Diego, na Califórnia. Quis fazer um curso de inglês para seguir a viagem com mais fluência no idioma, o que me fez ficar cerca de 2 meses por lá.

Cheguei na residência estudantil que havia reservado numa sexta-feira no final da noite. Surpresa, não havia nenhuma reserva em meu nome e não poderia passar a noite ali. Até então tranquilo…pensei: “fico num albergue qualquer por alguns dias para tentar resolver a situação”.

Como já era tarde, peguei a mala e fui procurar um hotel ali perto, indicado pelo recepcionista da residência. Uns 10 minutos procurando e achei o lugar.

– “Não temos vagas senhor, está acontecendo um congresso na cidade durante o final de semana e a cidade está lotada”.

Logo pensei – “Fudeu”.

E meus primeiros momentos da viagem fora assim, tentando procurar onde dormir. Tentei uns 5 albergues e hotéis, mas não consegui. Passei por algumas praças e haviam vários moradores de rua, cheguei a pensar que seria meu destino naquela noite. Só por curiosidade, San Diego é uma das cidades com mais gente morando na rua em todo os Estados Unidos.

– “Quer saber, tô na merda mesmo, deixarei a mala em algum albergue e vou cair na balada”.

Foi o que fiz, mas os perrengues não acabaram aí.

Cheguei sozinho, claro, e comecei tomando cerveja. Pedi uma, duas e parti pro whisky. Havia uma galera no bar e logo me vi trocando ideia com todo mundo.

Também pudera, imagine a minha empolgação por ser o primeiro dia de uma vida que nunca mais seria a mesma. Tava amarradão.

Só não sabia que as baladas nos Estados Unidos acabam as duas da manhã.

Estava bêbado e sem nenhum lugar pra ir…logo lembrei da galera dormindo lá na praça, e já até estava me conformando com a situação.

– “Ahhh, é história pra contar né, dormir sob as estrelas, bla, bla, bla”.

O bar começou a esvaziar, uma galera se despedindo e eu com aquela cara de cachorro sem dono. Quando dei o primeiro tchau, uma das meninas falou:

– “Onde você vai??? Tem festa lá em casa até as tantas da manhã”.

E viveram felizes para sempre!!!

por Guilherme Tetamanti, Viajando com Eles

—–

Esse Guilherme tem história pra contar! Dá pra dizer que esse foi um perrengue que veio muito bem calhar. Então, se você curtiu o post, clica aqui e você vai se amarrar no blog dele, aproveita e clica aqui e curte a página dele no facebook!!

Ahhh, e a lição desse perrengue? Bom… tem males que vem pra bem né

Melhor Seguro Viagem InternacionalAluguel de Carros: Reserve agora!Booking.com

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

5 Comments

  1. Robson

    [quote name="Guilherme Tetamanti"]Aeee Robson,

    Valeu meu velho. Ainda bem que no final deu tudo certo…hehehehe. Mas foi punk me ver ali ao lado dos moradores de rua.

    Abração[/quote]

    Cara, eu imagino… eu teria ficado bem preocupado sem um lugar pra ficar e acho que não pensaria em cair na balada…. hahaha

    Mandou bem!!!

    Abraço!!!

    Reply
  2. Rafael Leick

    Hahahahahaha Gui, nem sei se dá pra considerar perrengue de verdade né? Porque tudo levou ao desfecho de conto de fadas hahahahahaha
    Mentira, eu teria ficado preocupado. Mas o legal é q vc ta na situação, ja todo cagado e toca o “foda-se, vou dormir com os mendigos, não dormirei sozinho na praça rs”
    Mandou bem!

    Reply
  3. Cristina

    Gente,
    Eu também passei por uma dessas em Las Vegas, todo mundo falava que Las Vegas era um ovinho, muito fácil de andar . Pois é, fui assistir um show sozinha e lá pelas 23:00 resolvi pegar aquele ônibus que faz um tour na cidade, eu pensei comigo, elE vai dar a volta e parar aqui novamente, aí fica fácil de ir para o hotel a pé. Mas não foi o que aconteceu, eu me distrai olhando as ruas e fui parar do outro lado da cidade, já eram 3:00 da manhã , sozinha em um lugar deserto, todo mundo falava também que tinha ônibus 24 horas, então eu desci do ônibus e atravessei a avenida, fiquei no ponto aguardando o próximo ônibus que seguiria em sentido contrario, quando se passou das 3:30, fui andando com um casal de Mexicano misturado com americano, sei lá o que era aquilo rsrsr, chegamos em um posto de gasolina e eles sumiram, fiquei nesse posto sentada onde faziam o abastecimento esperando amanhecer para conseguir pegar um ônibus de volta. Peguei o ônibus errado de novo, eu burra achando ainda que Las Vegas era um ovinho e estava com medo de perguntar pra alguém por estar perdida aquela hora da madrugada, rsrsrs, mas consegui chegar no hotel às 6:00 da manhã .

    Reply
    1. Robson Franzói

      Hhaha… perrengues sempre se tornam ótimas histórias para compartilhar!! Obrigado por compartilhar aqui Cris!!! Bjoo

      Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *