Pena, Mouros e Monserrate, por Alessandro Melo

A viagem do Alessandro continua e agora ele vem contar pra gente sobre sua visita a Sintra! Eu já visitei essa cidade e fiquei apaixonado pelo lugar… acho que com o Alessandro não foi diferente. Vamos ver o que ele contra pra gente sobre essa parte da viagem..

Castelo dos Mouros

Bom, a cidade tem um charme único, muito especial e encantador, mas para não encher o texto de superlativos e pleonasmos, vou dizer o quanto ela é bonita em números: Nos outros 3 passeios na baixa de Lisboa, em Cascais e em Belém tiramos ao todo 250 fotos. Só em Sintra tiramos 220 fotos!!! Foi uma pena nós não termos outro dia para voltar lá, pois ainda queríamos ver muita coisa.

{module Bloco Google|none}

Pegamos o ônibus 418 que sai do Estoril direto para Sintra, chegamos lá precisamente as 9:15. Os ônibus de Sintra custam entre 4€ e 5€ então vale a pena fazer as contas de quantos você vai pegar pois há um passe diário que custa 12€ e dá pra usar em todas as linhas o dia todo

Eu e minha irmã já conheciamos a Quinta da Regaleira, então decidimos ir para o Palácio da Pena, o Castelo dos Mouros e o Palácio de Monserrate. Íamos começar o passeio por Monserrate, mas quando chegamos na parada, o ônibus 434, que faz a rota Pena/Mouros, estava saindo naquele instante, então decidimos mudar a rota pra ganhar tempo (sábia decisão). Nos dirigimos logo para o Palácio da Pena, que dos 3 foi o preferido de todos nós. A neblina ainda estava forte quando chegamos lá, mas o amarelo vivo das paredes do castelo já deslumbrava nossos olhos.

O Palácio é todo decorado por dentro e o melhor é que pode-se visitar a maior parte dos aposentos e tirar foto de tudo.

No fim do passeio a maioria das pessoas volta para o lugar por onde entrou e segue para outro ponto, mas nesse dia nós estavamos com uma companhia especial, nossa prima que morou 12 anos em Portugal e sabia um “segredo” do palácio, os jardins! Para achar os jardins, só olhando no mapa ou indo com alguém que já foi lá. O caminho parece um labirinto, mas você só precisa se preocupar em descer que uma hora você vai chegar na saída. Tem muitas plantas, flores, vários lagos com patos, cisnes, etc. Vale muito a pena!

Saímos do Palácio e fomos andando até o Castelo dos Mouros. Pela saída principal do palácio você desce para chegar ao castelo, mas para quem seguir a dica e sair pelo jardim tem que subir um pouco, mas nada demais.

Logo que entramos no ínicio do caminho do castelo fomos agraciados com uma bela melodia de uma garota que estava tocando ukulele em cima de uma torre – Obrigado ilustre desconhecida, você tocou muito bem. Para quem não sabe esse instrumento foi inventado em Portugal, mas não tem a mesma fama que a guitarra portuguesa usada no fado.

Andamos por toda a muralha, por cada cantinho, foi um passeio magnífico. Detalhe para as bandeiras hasteadas ao longo de todo o caminho, que só depois descobrimos que eram as bandeiras portuguesas de várias épocas diferentes da história do país.

A vista de lá é quase uma pintura, se não fosse o passeio seguinte ficaríamos mais uma meia hora por lá apenas admirando o horizonte.

Pegamos o 434 de volta para a cidade e almoçamos no restaurante chinês, em frente a estação do comboio, onde depois pegamos o 435 para ir ao Palácio de Monserrate. O palácio é lindo também, mas é bem pequeno e para nosso azar estava passando por uma grande restauração e reforma do interior, então não havia praticamente nenhum móvel ou decoração, apenas paredes e tetos.

Mesmo tendo praticamente só paredes e teto, olha o teto desta sala!!!

Assim como o Palácio da Pena, o de Monserrate também tem um jardim, mas esse é bem mais fácil de achar.

Terminamos a visita de 18:45, o último ônibus passava as 18:55. Nessa hora agradecemos por ter trocado a rota lá no início, pois não teria dado tempo de ver tudo como vimos caso a gente tivesse esperado o ônibus para monserrate primeiro. Voltamos pra casa extasiados com tantas belezas vistas e ao mesmo tempo super ansiosos para o próximo destino, Madrid!!

* * * * * *

Quer ver o que já rolou na viagem do Alessandro, clique aqui!

* * * * * *

Booking Reservas
Melhor Seguro Viagem InternacionalBooking.com

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

3 Comentários

  1. Mary

    Sou portuguesa e fiquei muito feliz com as crónicas sobre o meu país que encontrei aqui.
    Daqui a uns dias, mudarei de casa para um lugar que faz parte de Sintra e onde se vê o Palácio da Pena la em cima. É lindo!
    Um conselho? Visitem os Açores, minha terra do coração, um lindo arquipélago de nove ilhas, cheias de belezas naturais e mistérios. Cada ilha diferente das outras, mas todas coloridas pelas flores e sobre rochas vulcânicas.
    Beijos e boas viagens.

    Reply
  2. neusa

    Valeu suas dicas sobre Sintra. Foram seguidas em março de 2018. Belas recordações das ruas íngremes ,lojas de souvenir , locais para degustar e palácios .Agradeço.

    Reply
    1. Robson Franzói

      Oi Neusa!! Que bom que ajudaram na sua viagem, fico muito feliz.. de verdade. Um grande abraço!

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *