Torres del Paine: o trekking até a incrível base das torres – Patagônia Chilena

Um dos pontos mais importantes da Patagônia Chilena, as Torres del Paine formam um dos cenários mais apaixonantes do sul do Chile. Veja como é o trekking até a base das torres, em um passeio saindo de Puerto Natales.

A viagem pela região da Patagônia não parou de surpreender nem um único dia. Depois da visita ao incrível Glaciar de Perito Moreno e Monte Fitz Roy, na Patagônia Argentina, pegamos a estrada em direção a Puerto Natales a primeira cidade em que fizemos base nesse roteiro.

Como havíamos terminado recentemente o trekking até a Base Fitz Roy e encarado algumas horas de estrada, decidimos nos dar o luxo de um dia de folga. Para isso, incluímos no roteiro um dos hotéis mais lindos e charmosos que conheci nessa viagem: o Simple Patagônia.

Simple Patagonia, Hotel em Puerto Natales - Chile

Ao final, saímos para passear na cidade e voltamos logo para o hotel, já que no dia seguinte teríamos mais um grande desafio pela frente: o trekking até a base das Torres del Paine.

Ahh, se você chegou por aqui agora, deixa eu te avisar que já tem vários conteúdos dessa viagem no blog – vale a pena dar uma olhada!

Veja aqui todos os postos publicados da Patagônia
Veja aqui o meu roteiro de 10 dias na Patagônia Chilena e Argentina

Conhecendo o Parque Nacional Torres del Paine

Sem dúvidas o Parque Nacional Torres del Paine é a grande joia da Patagônia Chilena. Considerado um dos parques mais impressionantes da América do Sul, ele foi declarado como Reserva da Biosfera pela UNESCO, em 1978.

Com uma área que abrange mais de 200 mil hectares, o parque está localizado a cerca de 260 km de El Calafate e a 112 km de Puerto Natales que é de onde eu saí para fazer o trekking.

Antes de contar como foi esse dia incrível da viagem, já quero adiantar que não foi meu único passeio dentro do parque nacional – então se você não é lá dos mais aventureiros e não curte tanto caminhadas, pode ficar tranquilo, pois existem outras opções de atrativos na região.

O trekking até a base de Torres del Paine, na Patagônia Chilena

Para encarar o desafio que o dia nos reservava, caímos bem cedo da cama – por volta das 7h da manhã já estávamos saindo do hotel em Puerto Natales.

A viagem de carro até o ponto inicial do nosso trekking durou aproximadamente 2 horas – em uma estrada boa. Chegamos então à Reserva Cerro Paine, que conta com o Centro Bienvenidaum espaço bem legal onde podemos tomar café, usar banheiro e até comprar alguma lembrança da viagem.

Reserva Cerro Paine - Centro Bienvenida - Torres del Paine

Nos organizamos sem perder tempo e logo começamos a nossa caminhada. Vale reforçar que toda viagem teve o apoio da agência FlaviaBia Expedicionesa mesma que já fiz vários passeios no Atacama e agora está atuando também na região da Patagônia.

Apesar de não ser uma trilha complexa, ela é bem longa e considerada de nível médio-alto – são 20 km de caminhada, 10 km para ir e 10 km para voltar. Por isso achei o suporte deles fundamental!

SegurosPromo com desconto!

Trekking rumo a base das Torres del Paine

A Flavia, que nos acompanhou pessoalmente nesse trekking, é brasileira e já vive no Chile há alguns anos. Como ela conhece bem essa região e já fez essas caminhadas algumas vezes, foi uma tranquilidade a mais que tive ao encarar o desafio.

Além da experiência da agência, não dá pra deixar de lado a questão dos equipamentos de segurança e primeiros socorros – fundamentais para uma atividade como essa.

O começo do trekking: rumo a base das Torres del Paine

Como se tornou praxe nessa viagem, o dia amanheceu meio encoberto e com cara de que poderia miar o passeio. Felizmente logo no começo da caminhada eu vi que a sorte estava nos acompanhando.

Trekking rumo a base das Torres del Paine

Conforme iniciamos a trilha, as nuvens foram se dissipando e revelando que teríamos um lindo dia pela frente. Tudo estava pleno, lindo e eu super animado com a aventura… até que chegamos na primeira subida do dia.

Na verdade, preciso confessar que essa primeira subida foi a parte mais difícil para mim. Não que ela fosse uma subida difícil em questão de obstáculos, mas simplesmente por ser uma looonga subida.

Trekking rumo a base das Torres del Paine - Patagônia Chilena

Sério, juro pra você: quando terminamos essa primeira etapa e tirei a minha jaqueta corta-vento, minha camiseta de baixo estava completamente molhada de suor! Eu poderia torcer ela, que cairiam litros de água.

Até pensei em reclamar da dificuldade, mas o cenário que estava à minha frente era tão absurdo de lindo que fiz a cara mais plena da vida e tirei essa foto…

Trekking rumo a base das Torres del Paine - Patagônia Chilena
Por dentro estava morrendo, mas por fora era o cara mais bem preparado da trilha, hahaha.

Caminhada até a Base Torres del Paine | Segunda etapa

Apesar de estar amando o visual do dia, confesso que a primeira subida me deu uma baqueada e fiquei com um certo receito do que ainda teria pela frente.

Trekking rumo a base das Torres del Paine

Felizmente chegamos ao acampamento que existe no meio do caminho, onde existe um espaço com alguns produtos para vender – tudo bem caro, obviamente, por conta da dificuldade de acesso. A ideia não é comprar nada lá, apenas descansar!

A questão é que nesse momento me bateu o maior desejo da VIDA de tomar o que?!? Uma água de coco? Um açaí na tigela?? Não, meu anjo… a vontade era de tomar uma Coca-Cola mega gelada! Juro que quando vi que tinha para vender naquele lugar, no meio da montanha, nem pensei duas vezes e muito menos converti qualquer valor… pedi uma na hora, quase me tremendo para pagar.

Essa foi, sem dúvida alguma, a Coca-Cola mais maravilhosa que já tomei na VIDA!! Juro por tudo o que é mais sagrado para você: me arrepiei quando a lata abriu e ouvi a musiquinha da Coca no meu ouvido enquanto tomava.. tan tan tan tan tann. Foi a situação mais real onde o slogan da Coca fez todo sentido: eu abri a felicidade!

Trekking rumo a base das Torres del Paine - Patagônia Chilena
A foto que comprova tudo!

Agora, que essa foi a Coca-Cola mais cara da vida… ahh, isso foi! Mas vou deixar você chegar lá no acampamento e descobrir quanto paguei nessa lata que renovou minha vida.

Depois dessa pausa e da Coca, eu estava pronto para terminar a trilha com um pé nas costas – você não tá entendendo a energia que ela me deu. Parece brincadeira ou post patrocinado, mas juro que não é!

Reta final do trekking até a Base Torres del Paine | Segunda etapa

Seguimos nossa jornada, muito mais concentrados e focados em nosso ponto final. Passamos por mais algumas subidas, decidas e vários cenários lindíssimos.

trekking até a Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

trekking até a Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

Na parte final da trilha, o cenário se transforma e confesso que parece que os metros se alongam. Por ser uma parte mais delicada do percurso, com um terreno mais pedregoso, eu nem saquei a câmera para tirar fotos.

Trekking até a Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

Tudo que eu ouvia era a Flavia dizendo que nosso ritmo estava bom e que já estávamos quase chegando. Até o momento que olhei para o alto e vi pessoas muitoooo adiante, quase invisíveis aos olhos. Olhei pra ela e, junto de um suspiro profundo, disse: “Flavia, Flavia…”. 

Todo mundo caiu na risada, só não sei se foi pela minha cara ou rindo de nervoso pelo que ainda tínhamos pela frente.

Mas a verdade é que a força tanto dela quanto do Pablo, que nos acompanhou nessa viagem, foi indispensável. E quando nós, todos juntos, chegamos na base das Torres del Paine…. foi como se o tempo tivesse parado.

Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

A Base Torres de Paine, na Patagônia Chilena

Cada gota de suor, cada passo, cada centavo investido na Coca-Cola… tudo tinha valido à pena. Eu estava diante de um dos lugares mais fantásticos e incríveis do mundo: a base das Torres del Paine. Um lugar que já tinha visto pela TV, em documentários e em fotos magníficas da National Geographic… mas que nem de longe se comparavam ao que estava vendo ali, com meus próprios olhos.

Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

A beleza, força e o impacto daquele cenário é algo que emociona e arrepia. Só estando lá para que se possa entender a real sensação que é conquistar um destino como esse.

Sentamos, cada um em uma pedra, e passamos um bom tempo ali, simplesmente admirando e contemplando uma das obras mais lindas e sublimes da natureza.

Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

As poucas nuvens que sobraram estavam desenhando o céu de uma forma linda. E de um segundo para o outro, se dissiparam e deixaram o azul do céu brilhar sobre nós. O solzinho gostoso lá no alto estava nos aquecendo e foi muito tranquilo lidar com a temperatura nesse dia – como eu disse, a sorte estava do nosso lado.

Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

Trilha Torres del Paine: o retorno

Infelizmente, depois de algum tempo lá em cima, tivemos que nos preparar para os 10 km de volta. Uma boa pernada. E foi aí que algo mais incrível aconteceu – não sei se por conta da Coca-Cola, rsrs, ou pela sinergia do grupo.

Fizemos a descida em tempo record! Não que você precise tentar algo assim ou que esse fosse o nosso objetivo. Mas foi algo que simplesmente aconteceu. Entramos todos em um ritmo super bom e, pasme, fizemos uma parte da trilha quase que correndo. Por não ser profissional nesse tipo coisa, fiquei feliz ao saber que consegui finalizar a trilha em um tempo ótimo – isso só me deu força para incentivar mais pessoas a irem, pois é possível e vale muito a pena.

Trekking até a Base Torres del Paine - Patagônia Chilena

Sempre que nos encontramos, gostamos de relembrar esse dia. Foi um dia muito especial, em todos os sentidos. Tanto pela beleza do lugar que visitamos, pelo dia lindo que recebemos de presente, quanto pelas histórias hilárias que temos para dividir. Isso é o que mais vale em uma viagem: ter boas e divertidas histórias para compartilhar.

Foi uma grande aventura que certamente vou levar para sempre na minha memória. Se você tiver oportunidade de fazer esse passeio, eu recomendo muito!

Como se preparar para fazer a trilha da Base Torres del Paine

Se você está decidido a realizar esse trekking, minha primeira dica é para começar a caminhar hoje mesmo!

Assim como falei no post do Trekking da Base Fitz Roy, você não precisa ter um super preparo físico, mas é indispensável que esteja acostumado a caminhar. Tanto naquele trekking quanto nesse, são mais de 20 km que você vai andar em um único dia – é preciso levar à sério.

E também é importante estar com uma alimentação mais regrada, o que pode ajudar bastante no percurso – já que seu corpo vai responder de uma forma muito melhor.

Se posso dar uma dica super particular: leve uma latinha de Coca-Cola na mochila. Não é propaganda, mas vaaaaai que você tem o mesmo desejo que eu, aí já não precisa desembolsar uma graninha lá no acampamento

Qual a melhor época para fazer a trilha até a Base Torres del Paine

Como já venho reforçando nos posts da Patagônia, sem dúvidas é o verão! No inverno, as temperaturas são muito baixas e várias trilhas podem fechar por conta da neve.

Torres del Paine no inverno
Veja como o cenário se transforma perto do inverno…

O verão é a alta temporada e, por conta disso, tem um movimento mais intenso – mas ainda assim é a melhor época para realizar a viagem.

Recomendo que você faça sua viagem para Patagônia de novembro até meados de abril.

Equipamentos necessários para fazer a trilha

Bom, é muito importante reforçar que o clima na Patagônia é totalmente imprevisível e pode mudar de um instante para outro. Para um trekking como esse, você deve estar bem equipado! Dependendo do clima que vai encontrar no dia do passeio, estar com o equipamento certo pode fazer toda diferença para a sua experiência.

Vou listar aqui os itens que considero indispensáveis para o trekking:

 Segunda pele 

Muito importante! Mesmo no verão você pode encontrar temperaturas negativas;

 Calça impermeável 

Depois da segunda pele, você coloca uma calça confortável e, por cima dela, uma calça impermeável. Caso o tempo esteja bom, você pode até guardar essa calça na mochila, mas tenha ela sempre com você;

Jaqueta de pluma 

Não precisa ser exatamente de pluma, mas precisa ser bem quentinha. As de pluma são recomendadas por serem bem quentes e também leves, o que ajuda ao longo do caminho;

Jaqueta impermeável/corta vento 

Mais um item indispensável para fazer essa trilha. Caso você pegue chuva ou um vento muito forte, é o que vai te proteger;

Bota impermeável 

Esse é um tipo de trekking que exige uma bota adequada. Foi a primeira vez que eu investi em um equipamento mais profissional e não me arrependo. Comprei uma bota da marca Salomon, impermeável e resistente a temperaturas negativas – foi um pouco cara, mas vai durar uma vida! Ela é tão boa que nem precisei amaciá-la! Comprei na semana da viagem, no Brasil mesmo, e levei ela comigo. Foi maravilhosa, recomendo!

Bastão de caminhada 

Também é um item importante, mas esse a Flavia levou para o grupo e não precisei me preocupar.

Outros itens que você precisa levar:

Protetor solar
Óculos de sol
Luvas e gorro
Hidratante labial

Acredito que com tudo isso da lista, você terá muita chance de fazer a trilha com sucesso.

Passeios na Patagônia com a FlaviaBia Expediciones

Como comentei no começo do post, a FlaviaBia Expediciones me deu todo o suporte nessa viagem.

Além de ajudar com toda logística da viagem, ela dá todo suporte e segurança para fazer os trekkings, as caminhadas e te levar para lugares que dificilmente outra agência levará.

Reforçando que a Flavia é parceira do blog, desde o Atacama, e oferece condições especiais para os leitores.

É muito importante que você comente com ela que me conhece e que chegou nela pelo Um Viajantealém de receber um desconto especial, você dá uma super força pro blog!

Você pode entrar em contato com a Flavia pelo site da agência ou diretamente pelo formulário abaixo – e não se esqueça de falar do blog, hein!?!?

Informações gerais sobre a trilha Torres del Paine

Tempo do passeio: cerca de 9h/10h (dia inteiro)
Saída: 7h
Chegada: 20h
Distância caminhada: 22 km aproximadamente
Dificuldade: Média/Alta
Cidade base: Puerto Natales

Levamos menos de 4 horas para subir, em um percurso que se leva uma média de 5h ou 5h30. E descemos em pouco mais de 3 horas, um percurso que normalmente se faz em 4h30 – mas não foque no tempo e sim, em aproveitar o passeio no seu ritmo.


Para incluir esse trekking no seu roteiro, você deverá passar ao menos duas noites na cidade de Puerto Natales, que é a mais próxima do início da trilha. Apesar do passeio durar apenas um dia, você vai sair cedinho da cidade e vai chegar de volta já à noite.

Caso não queria se deslocar até a cidade, existem também opções de hotéis dentro do Parque Nacional Torres del Paine – aí tudo vai depender da logística que você que para o seu roteiro.

A minha estadia nessas noites em Puerto Natales foi no Hotel Simple Patagonia, que recomendo muito!!

Veja aqui outras opções de hotéis em Puerto Natales

Veja aqui as opções de hotéis dentro do Parque de Torres del Paine

Lembrando que sempre que fizer suas reservas pelo Booking.com pelos links do blog, você vai me dar uma força e não vai gastar nada a mais com isso.

Vídeo: Trekking base Torres del Paine na Patagônia Chilena

Que tal ter um gostinho a mais desse passeio? Olha só o vídeo que publiquei no canal Um Viajante lá no YouTube. Aproveita e já se inscreve no canal, você vai me dar uma força e sempre vai saber quando eu postar vídeos novos

Espero que tenha curtido o post e que ele ajude na sua viagem pela Patagônia. Se tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar sua experiência em Torres del Paine, fique à vontade para comentar aqui no post! Precisando, é só dar um grito! Valeuuu!

Expedição Patagônia

About The Author

Robson Franzói é um jovem de Curitiba que tenta inspirar outros viajantes a explorarem diferentes lugares do mundo. Decidiu correr atrás dos seus sonhos e hoje vive desse blog, seu projeto mais especial. Apaixonado por fotografia e vídeos, o garoto vive para compartilhar suas experiências e dicas dos lugares que conhece. Suas fotos já estão ficando conhecidas e seus vídeos inspiram muitos viajantes. Aproveite e acompanhe o Instagram e também o Canal Um Viajante.

Related posts

55 Comentários

  1. Paulo Massuda

    Robson que lugar incrível, já estava na minha lista de viagens e certamente agora irá subir de posição no ranking. Kkk

    Reply
    1. Robson Franzói

      Lívia!!! Que bom ver você por aqui. Lindo demais né!?! Aqui já tem alguns posts dos lugares que conheci na Argentina também. Vale a pena pensar no trekking até a base Fitz Roy

      Reply
  2. Priscila

    To louca para conhecer as Torres del Paine em julho, nas minhas férias. Quero realizar um dos meus sonhos que é ver a neve de pertinho. Ótimo post e obrigada pelas dicas, as fotos ficaram sensacionais!

    Reply
    1. Robson Franzói

      Pri!!! Em julho??? Woww… depois me conta como foi encarar o ápice do inverno por lá

      Muito obrigado pela mensagem aqui no post

      Reply
    1. Robson Franzói

      Suuu!! Que bom ver você por aqui!!! Quando vamos programar uma viagem dessas juntos?? Pra um lugar bemmm frio?? ❤

      Reply
  3. Alan

    Fantástico. Quero demais levar minha filha para conhecer esse lugar. qual a idade da pessoa mais nova que viu fazendo esse roteiro?

    Reply
    1. Robson Franzói

      Grande Alan, tudo bem? Então, olha… confesso que vi pais levando crianças bem pequenas naquelas mochilas. Agora se for uma criança maior, que vai caminhar todo o percurso, dá pra ir sim… mas tem que ver a disposição dela de caminhar, pois são 20km. Espero ter ajudado

      Reply
    1. Robson Franzói

      hahaha.. não precisa ganhar na mega não Amanda!! Claro que seria uma boa, aí você me levava junto!! Mas se programando com tempo dá pra viajar bastante!!!

      Reply
  4. Paulina

    Robson, planejo ir à Patagônia na viagem para a Argentina, porém gostaria de conhecer a Patagônia chilena também. Tem como ir saindo do lado argentino para o Chile?

    Reply
  5. Bárbara

    Maravilhoso! Estive na Patagonia, Ushuaia e El Calafate, mas não fui até Torre del Paine. Quem sabe numa próxima. Suas fotos lindíssimas, como sempre!

    Reply
    1. Robson Franzói

      Ainda não fui pro Ushuaia, mas ainda quero volta pra essa região. É uma região linda né Bárbara? Obrigado pela mensagem ❤️

      Reply
  6. Márcio Luiz Silva

    Um verdadeiro paraíso. Espetacular! Com certeza será um dos meus próximos desatinos… Parabéns pelo blog, Robson. Você é fera@

    Reply
    1. Robson Franzói

      Grande Márcio!! É realmente um espetáculo…. vale a pena colocar na lista de destinos. Super obrigado pela mensagem!

      Reply
  7. Caroline

    A Patagonia já era um sonho desde adolescente quando via esses lugares lindos pelos programas de TV. Enquanto esse sonho não se realiza você Robson nos traz o melhor olhar de um lugar tão fascinante. Abraços.

    Reply
    1. Robson Franzói

      Carol!!! Linda!! Super obrigado pela mensagem… feliz que gostou do post. A Patagônia foi um sonho pra mim também, por muito tempo… estar lá foi uma grande realização. Fico feliz em poder compartilhar com vocês

      Reply
    1. Robson Franzói

      Um sonho mesmo Adri!! Eu que fico feliz em poder compartilhar lugares assim por aqui. Super obrigado por sua mensagem

      Reply
  8. Laiz

    Estou sonhando com esse trekking! Obrigada pelos posts, suas dicas foram muito úteis pro Atacama, espero utilizá-las em breve para torres del Paine!

    Reply
  9. Giulliana

    E você me fez colocar mais um lugar em minha lista de lugares param cinjevwr. Eu não imaginava que era assim tão ao lindo!!

    Reply
  10. André Luiz

    Robson parabéns pelos posts da Patagônia e pelo blog. Acompanho tem um tempo já e só melhora!
    Três perguntas que vc já deve ter respondido por aqui mas eu não achei.
    Qual a câmera e lente que usou pra essa surra de fotos incríveis?
    Quanto gastou nessa trip de 10 dias
    E por que não fez os passeios de Puerto Natales antes dos de El Chaltén, se vc tinha passada por lá já?

    Abração mano

    Reply
    1. Robson Franzói

      Grande André!!! Que bom que chegou aqui e curtiu o conteúdo!! Fico muito feliz em saber, de verdade!!

      Então, a câmera que eu uso é a Sony a6500.. a lente é a Sigma 16mm 1.4. Tenho outras lentes, mas essa tem sido a principal.

      Sobre o roteiro, como eu teria que voltar, de qualquer forma, para Puerto Natales, preferia dividir assim…. pra ter passeios tanto na ida quanto na volta.

      Estou preparando um post com todos os custos… ainda não consegui fechar, já que esses são os mais detalhados…. logo post e atualizo aqui.

      Se tiver qualquer outra dúvida é só me dar um grito aqui. Grande abraço!!

      Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *